quinta-feira, 1 de maio de 2014



SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DA MÚSICA REGIONALISTA DE CANOAS

Toda cópia de qualquer texto ou imagem de meus  blogs solicitar autorização expressa através do email - darisimi@gmail.com. LEI Nº 9.610 de Fevereiro de 1998, que regulamenta os direitos autorais.


Pesquisa: Dari José Simi 

Conjunto Musical do Rancho Crioulo - Animava os fandangos do Centro Canoense de Tradições Rancho Crioulo (CCT Rancho Crioulo) de Canoas nos anos 50 e início dos anos 60.  Seus componentes foram Ubirajara Pereira (gaiteiro). Telmo da Silva (bandolim) e Egíno Mazzotti (violão). O Centro Canoense de Tradições Rancho Crioulo foi a primeira entidade tradicionalista de Canoas, criado em  6 de junho de 1955 por João Palma da Silva.




Foto do 1° baile do CCT Rancho Crioulo.  Segundo Maria Helena Munhoz, a gaiteira da foto, este foi o primeiro fandango do Centro Canoense de Tradições Rancho Crioulo, logo depois de sua fundação em 6 de junho de 1955.  O fandango foi realizado na primeira sede do Rancho Crioulo, na rua General Salustiano.
 Fotografia original acervo Dari Simi

Os Tapejaras - Grupo musical nativista composto por Airtom, Miltom, Edgar, Atiles e Loreto. Apresentava-se todas as quintas-feiras animando o programa "Roda de Chimarrão" no CCT Rancho Crioulo, nos anos 60.
Os Ceresteiros - Grupo musical nativista que pertenceu ao CTG Brazão do Rio Grande.
Os Tradicionalistas do Pago - Grupo musical nativista que atuava em Canoas nos anos 80.

A Rádio Real de Canoas - Emissora integrada da "Rede Princesa", foi inaugurada em 21 de junho de 1960, pelo radialista canoense Luiz Carlos Bauer, que foi seu primeiro diretor.
Essa emissora sempre procurou dar oportunidade aos músicos e compositores nativistas e sertanejos de Canoas. Estimulava, assim, os talentos locais. Também artistas de outras localidades vizinhas abrilhantavam a programação da Real.
Ao longo das décadas de 60, 70 e 80, foram muitos os programas radiofônicos da Real, que transmitiam ao público canoense, em apresentações de palco, a nossa autêntica música regionalista. Tinha grande  aceitação popular  as músicas caipira e sertaneja nos primeiros anos da Rádio Real. Mas a música gauchesca não era esquecida. Duplas queridas dos canoenses apresentavam-se nos estúdios da Real. De grande audiência era o programa "Noites Gaúchas", nos anos 60, produzido por João Palma da Silva, que na ocasião era o Diretor Social da emissora. Jamil Cecin Toledo, radialista, locutor, apresentava o programa Noite Sertaneja na Real dos anos 70/80. Felisberto Meireles tinha o programa Pampa e Sertão na Rádio.  
O público deliciava-se com a dupla "Irmãos Ytu"; os "Irmãos Santos"; a dupla caipira de São Paulo, "Inhô Zé e Inhô Pinho"; os irmãos "Osmar e Orlando Setembrino Nogueira"; a dupla sertaneja "Prateado e Belinho", entre outras. 



Dupla Irmãos Ytu 
dos programas gauchescos da Rádio Real de Canoas.
Do acervo de Dari Simi


Irmãos Santos - Rui Batista dos Santos e Asteróide Batista dos Santos - dupla que  apresentava o programa Noites Gaúchas, pela Rádio Real de Canoas, nos anos 60. Os Irmãos Santos também tocaram no programa Rodeio Coringa, da Rádio Gaúcha de Porto Alegre. A dupla animou a programação da Rádio Real de Canoas, com suas músicas gauchescas.
O jornal canoense Minha Querência  (culturadaquerencia.blogspot.com) entrevistou um dos componentes da dupla de música gauchesca, Irmãos Santos, o Asteróide, hoje com mais de 70 anos.








“A dupla canoense Irmãos Santos, Rui e Asteróide, foi montada em 1958 e em 1960 começamos o programa Noites Gaúchas, na Rádio Real de Canoas e fomos até 1964. Participavam artistas como Teixeirinha, Mary Terezinha, José Mendes, Darci Silva e tantos outros. Tínhamos patrocinadores e até chegamos a gravar um LP. Tudo era muito difícil. Naquela época era ou bem a música, ou bem o  serviço. Optamos pelo serviço, pois a música era muito difícil.  Fomos a Curitiba e gravamos pela gravadora Araucária, naquele tempo era um bolachão  (Long Play 78 RPM), era difícil, tínhamos que mandar dinheiro prá eles (reserva de mercado) prá largar 100 discos na praça, mas não deu certo. Ainda tenho o contrato assinado guardado em casa.
Estivemos em Curitiba, depois viemos a Blumenau, tocamos na Rádio Blumenau, fizemos programas por lá, arrumamos patrocinadores naqueles dias, depois viemos a Tubarão, onde temos parentes ali.  Na Rádio Tubá, da cidade de Tubarão fizemos programas, enfim, depois viemos pra Araranguá. Na Rádio Araranguá  também fizemos programas e viemos vindo chegando em casa, foi muito lindo aquele passeio, aquela festa. Chegamos e recomeçamos na Rádio Real de Canoas.
Nós tínhamos muitos ouvintes, no interior, nós fizemos festas, inclusive a Erva Mate Saphira era  nosso patrocinador e nós  fazíamos shows nos cinemas de Canoas. No cinema Rio Branco fizemos a festa, levamos muita erva, distribuímos para o  pessoal e era assim que nós andávamos por toda Canoas. No cinema São Luis, cinema Niterói, inclusive quando vinham os artistas do Rio e São Paulo como Tonico e Tinoco nós fazíamos a abertura dos shows e era muito bonito aquilo tudo, o Teixeirinha vinha também no nosso programa da Rádio Real de Canoas. A dupla Irmãos Santos terminou em 1967.”
Hoje Asteróide trabalha com couro, fabricando chinelos e botas campeiras ali na Casa do Sapateiro, na Gonçalves Dias, centro de Canoas. Seu irmão, o Rui, faleceu em 2006, com 69 anos de idade.

 Irmãos Santos nos estúdios da Rádio Real de Canoas
Foto do acervo de Dari Simi
Irmãos Santos nos estúdios da Rádio Real de Canoas
Foto do acervo de Dari Simi
Postal de divulgação da dupla
Acervo Dari Simi
Dupla gauchesca da Real anos 60,
Irmãos Santos
Acervo Dari Simi
Nhô Zé e Nhô Pinho, dupla sertaneja de São Paulo que 
apresentava-se na Rádio Real de Canoas, nos anos 60.
No centro o radialista e animador Edu Rocha
Acervo Dari Simi


A Rádio Real teve grandes apresentadores de programas gauchescos e sertanejos. Destaque para Juan Darcy, que também foi diretor da emissora em 1967. Apresentou "Terra Nativa" e "Charla de Galpão". Edu Rocha, o radialista que trouxe para a Rádio Real a dupla Nhô Zé e Nhô Pinho, artistas que tocavam na Rádio Itaí de Porto Alegre.  Edu Rocha foi o fundador da Orquestra Tabajara, nos anos 50, que apresentava-se na Rádio Continental de Porto Alegre; era sargento da Aeronáutica de Canoas; violonista e apresentador de programas gauchescos da Rádio Real. Chimarreando na Querência, era um dos mais antigos programas tradicionalistas do rádio gaúcho, apresentado aos sábados das 12 às 14 horas na Rádio Real de Canoas, por Gontran Goulart, o poeta do Alegrete.

Juan Darcy
Nos anos de 1991 e 1992, Juan Darcy publicou a coluna "Terra Nativa" no jornal canoense "Expresso do Vale", com notícias dos CTGs da Grande Porto Alegre e  textos de história, folclore, tradicionalismo, chasques, etc.
Cena de programa gauchesco nos estúdios da Rádio Real, anos 60. 
Apresentação de Juan Darcy
Acervo Dari Simi
Cena de programa de auditório da Real, anos 60, 
com o apresentador Juan Darcy
Acervo Dari Simi
Cena de programa gauchesco na Real, anos 60
Acervo Dari Simi
Juan Darcy o primeiro da esquerda, 
apresentador de programas nativistas
 da Radio Real de Canoas
Foto do acervo de Dari Simi

Miraguaio e Bernardinho - Eram os animadores do programa "Rancho do Miraguaio", que ia ao ar todos os domingos das 18 às 19 horas, pela Rádio Real de Canoas., com músicas sertanejas e gauchescas.

Prateado e Belinho, dupla sertaneja da Real
Foto original de 1986
 Acervo de Dari Simi

Prateado e Belinho, dupla sertaneja canoense, em 1986
Foto original do acervo de Dari Simi

Prateado e Belinho era uma dupla sertaneja surgida em Canoas nos anos 60. Tem gravados  dois discos.
Em uma nova postagem informaremos mais dados sobre essa dupla nascida em Canoas.
Artistas da capital gaúcha apresentavam-se com frequência nos programas de auditório da Real - Teixeirinha e Mary Terezinha, Gildo de Freitas, Portela Delavi, Luiz Müller, José Mendes e tantos outros.

Os trovadores ( da esq.)  Gildo de Freitas, Portela Delavi e Orlando Müller,
numa festa no salão paroquial da igreja matriz São Luiz Gonzaga de Canoas. 
Ano 1962. Foto original do acervo de Dari Simi

Postal de divulgação da dupla
Acervo Dari Simi



Nelson e Gianete
Fotografia original
Acervo Dari Simi

Postal de divulgação de José Mendes, em 1971, do original autografado
Acervo Dari Simi

Mais tarde, anos 90, a Real mudou o nome para Rádio Visão, mantendo o programa "Rádio Frequência", apresentado por Meirelles (Felisberto Meirelles), diariamente das 17 às 19 horas, com música nativista e sertaneja. 
Derly Silveira da Silva foi o apresentador do programa regionalista "Rio Grande Tchê", na Rádio Visão de Canoas. É poeta, compositor, trovador e radialista. Criador do festival de trovas do Rio Grande do Sul, o "Mi Maior de Gavetão", na cidade de Sapucaia do Sul. Autor do livro de poemas regionalistas "Na Beira do Fogo", publicado em 1989.  Derly é natural de Júlio de Catilhos, onde nasceu a 25 de novembro de 1942. Iniciou na radiofonia aos 15 anos de idade, em Tupanciretã, RS. 

Alma da Terra - Programa gauchesco da Rádio Clube de Canoas, nos anos 60.  Programa de grande audiência, levado ao ar todos os dias no horário das 18:30 às 19:30, com uma mensagem poética e sonora do Rio Grande do Sul para o Brasil.  Alma da Terra era um desfile de nossa música regional e folclórica.

Grupo Candeeiro - Formado por ex-integrantes dos Serranos. O conjunto lançou em 1993 o disco "Buenas Amigo" pela gravadora Acit em conjunto com o músico Porca Véia (Elio Xavier), morador de Canoas há muitos anos e grande destaque na música nativista gaúcha. O grupo estava formado por Pereirinha (gaiteiro); Iti (Luiz Tadeu Mendes Paim, o bateirista); Kiko (baixista) e Amaro Pereira (guitarrista).

Grupo Candeeiro - Da esquerda, Amaro Peres, Porca Véia, Iti e Kiko
Foto do acervo de Dari Simi

Porca Véia (Elio Xavier) - Cantor nativista. Reside em Canoas há muitos anos. Seu disco de estréia (LP) tem o título de "Gaitaço" e foi lançado  no ano de 1985.

Porca Véia - foto do disco Gaitaço
Foto do acervo de Dari Simi



Theodoro Alexandre Alex Hoheberger -  Músico nativista. Nasceu em Tupanciretã a 28 de dezembro de 1952. Veio a residir em Canoas a 5 de maio de 1977, onde desempenhou a função de professor de Educação Física e Música. Trabalhou com crianças especiais no Instituto Pestalozzi de Canoas.  Formou grupos de danças gaúchas - "Lenços Colorados" e "Grupo de Danças Afro",  com crianças excepcionais e também criou o "Grupo Carijó", no Bairro Mathias Velho. Pós-Graduado em Educação para  excepcionais. Foi integrante do grupo "Caverá", com o qual gravou vários discos. Gravou também  LP com o melhor das Califórnias da Canção Nativa, "Nativismo Puro". Coordenou um grupo folclórico em excursão pela Europa em 1980.  Um nome bastante conhecido na música nativista de Canoas e do Estado.

Theodoro A. A. Hoheberger
Capa do disco Nativismo Puro
Foto do acervo de Dari Simi

Theodoro Alexandre Alex Hoheberger
Foto acervo Dari Simi

Os Tahãs - Conjunto nativista canoense criado nos anos 90.
O conjunto era composto por Alcir Claic (vocal), Vilmar Rodrigues (acordeon e vocal), Sérgio Foscarini (violão e vocal), José Augusto A. Santos (baixo e vocal), Rosinei Silva da Costa (baixo) e Rodrigo Claic (vocal).

Os Tahãs - em apresentação no CCT Rancho Crioulo de Canoas
Foto original do acervo de Dari Simi

LP gravado em 1992.  Da esquerda - 2ª fila, Rodrigo Claic, Sérgio Foscarini e Alcir Claic.
1ª fila, José Augusto A. Santos, Rosinei Silva da Costa e Vilmar Rodrigues

Os Caranchos - Conjunto nativista canoense criado nos anos 90.

Dante Ramón Ledesma - Cantor consagrado nos meios artísticos nativistas do Rio Grande do Sul. Argentino, natural da cidade de Rio Cuarto, em Córdoba. Radicado em Canoas há muitos anos. Possui muitos discos gravados. O seu canto é forte e clama por liberdade e igualdade. Mesclando músicas gaúchas com popular latino-americana de diferentes poetas.  Sua melodia não tem fronteira nem bandeira. É um canto universal. Sua música lhe confere o título de melhor interprete latino-americano.

Dante Ramón Ledesma
Foto original do arquivo de Dari Simi

Dante Ramón Ledesma em entrevista ao jornal canoense Radar
Foto original do acervo de Dari Simi

Dante Ramón Ledesma - show nativista
Foto original do arquivo de Dari Simi

Grupo Nativo Poente -  Grupo musical de Canoas. Teve várias fases. A partir de agosto de 1983 inicia suas atividades, com muita música nativista, em andanças pelos CTGs da cidade. Era composto, inicialmente, por Edinho (violão e voz); Zé Maschke (violão e voz); Jeferson (percussão); Nara e Eliani (vocal e dança). 
Em janeiro de 1985 o grupo se desfez, ressurgindo  em seguida com apenas dois componentes e o nome de Duo Nativo Poente - Zé Maschke (percussão e voz) e Edinho (violão e voz). A dupla fazia seus shows em clubes e bares da cidade.
Ainda, numa terceira fase, com o nome alterado mais uma vez para Musical Poente, ressurge esse grupo com muita força apresentando seu variado repertório de música popular e nativista. Estava assim composto: Zé Maschke, Edinho, Muskito, Vanderlei e Beto.

Grupo Nativo Poente no CCT Rancho Crioulo, em 1986
Foto original do acervo de Dari Simi

Duo Nativo Poente em 1986
Acervo Dari Simi


Duo Nativo Poente
Foto original do acervo de Dari Simi

Os Ideais Farroupilhas -  Conjunto canoense de música gaúcha. Surgiu em 1989, quando fez suas primeiras apresentações públicas. Componentes: Juarez Pires, o Fiapo (gaiteiro); Cristiano Buligão (bateirista); Zezinho (guitarrista); Sandro Frederico (baixista); Evaldo Araujo (vocalista) e Alex Costa (gaiteiro).

O Cancioneiro - Natural de Giruá, Jucelino Vieira da Conceição vive há muitos anos em Canoas. Foi funcionário da Corsan em Canoas. Com o nome de "O Cancioneiro" ele se tornou um dos artistas mais conhecidos na região das Missões. Decidiu aproximar-se mais da capital gaúcha para ampliar suas atividades artísticas. 
Possui voz parecida com a de Gildo de Freitas e Teixeirinha, dos quais gravou algumas músicas. Seus discos são "Herói da Terra", "Casamento de Bugio" e  "Herança de Trovador". Este último foi produzido com o Grupo Candeeiro, que participou como instrumentista.
O Cancioneiro, antes de se dedicar inteiramente à música, foi vereador por seis anos em Giruá.  Como radialista apresentou o programa "Roda de Chimarrão" na Rádio Giruá e na Rádio Noroeste de Santa Rosa apresentou "Festa no Sertão". Na Rádio Navegantes de Porto Lucena comandou o programa "Atravessando a Fronteira". Seus programas eram sempre dedicados à música regionalista.

Cajarana - Músico nativista canoense, já falecido.  Lançou seu primeiro disco, "Coplas de um Teatino", em 1994, pela Gravadora USA Discos, com músicas de Telmo de Lima Freitas, Amauri Beltrão de Castro, Juliano Jaroski, Mano Oliveira, entre outros. Autor da música "Cantor Canoeiro", que interpretou na "1ª Canoas do Canto Nativo", tendo conquistado o título de canção mais popular do festival.

Cajarana - Cantor canoense nativista
Foto acervo Dari Simi

Cajarana
Foto original acervo Dari Simi

Maestro Longhi com o Coral Canoense em apresentação no 
CCT Rancho Crioulo
Foto original do acervo de Dari Simi
Estamos pesquisando a história da música nativista de Canoas e gostaríamos de receber contribuições de quem possa nos ajudar enviando material histórico: fotografias, documentos, recortes de jornais, informações sobre artistas, biografias, livros, etc.
Contatos pelo e-mail
darisimi@gmail.com











Nenhum comentário:

Postar um comentário