sexta-feira, 11 de abril de 2014

JOÃO PALMA DA SILVA



                                                                                                          Pesquisa Dari José Simi

Toda cópia de qualquer texto ou imagem de meus  blogs solicitar autorização expressa através do email - darisimi@gmail.com. LEI Nº 9.610 de Fevereiro de 1998, que regulamenta os direitos autorais.



João Palma da Silva em 1955
Nasceu em Santa Maria, RS, a 27 de abril de 1913 e faleceu em Canoas a 28 de setembro de 1978.  Filho do Capitão Joaquim Antônio da Silva, falecido em 1929 com 55 anos de idade, e de Isabel Palma da Silva, falecida em 1956 com a idade de 85 anos.  Ele natural de Santo Amaro e ela de Uruguaiana. É neto pelo lado paterno do Capitão João Antônio da Silva, criador e veterano da Guerra do Paraguai, falecido em 1886, e de Generosa Gonçalves da Silva; é neto pelo lado materno do Coronel Zeferino Palma, estancieiro em Uruguaiana, onde faleceu por volta de 1887, e de Tereza Palma, da antiga nobreza espanhola. Fez o curso primário na Escola Santa Catarina e na Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria.  Cursou o ginásio na Escola Fontoura Ilha, em curso noturno, na mesma cidade. Preparava-se para fazer o curso Jurídico quando foi convidado pelo Brigadeiro Miguel Lampert para reengajar no Terceiro Regimento de Aviação, vindo com essa unidade para Canoas, a 6 de agosto de 1937. Fez curso de Sargento da Aeronáutica.  Foi Intendente da mesma arma. Oficial da Aeronáutica, formado em 1956. Quando chegou em Canoas, era Cabo, mas logo foi promovido a Sargento, e, a seguir,  a Sub-oficial. Passou para a reserva, em  1956, no posto de 1º Tenente.  Casou com Eva Palma da Silva, com quem teve os seguintes filhos:  Walmyr, nascida em Santa Maria, em 1935, e casada com Santini Longoni Netto;  Ayrton, nascido em Canoas, em 1938, e casado com Joana Olinski; Eva, nascida em Canoas e casada com Arildo Poletto. Na década de 50, passou a pesquisar “As Origens de Canoas”, posteriormente editadas. Participante ativo do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Escreveu o livro de poesias regionalistas “Rancho Crioulo”, que deu nome ao Centro Canoense de Tradições Rancho Crioulo, por ele fundado em 6 de junho de 1955. O Rancho Crioulo surgiu pela iniciativa de João Palma da Silva que, em 1955, liderou um movimento artístico-cultural em Canoas. Queria que o Rancho Crioulo fosse muito mais do que um simples Centro de Tradições Gaúchas.  Foi presidente do 3º Congresso Tradicionalista Gaúcho, realizado na cidade de Ijuí, entre os dias 18 e 21 de outubro de 1956. Nos anais desse Congresso, consta discurso de Palma da Silva. Funcionário público municipal e assessor de imprensa da Prefeitura Municipal de Canoas.  Juiz de Paz da Comarca de Canoas desde 1961, nomeado pelo Governo do Estado. Grande incentivador da cultura. Foi poeta, tradicionalista, historiador, ensaísta e jornalista. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul; Academia Sul-rio-grandense de Letras, onde ocupou a cadeira n.2,  cujo patrono foi Carlos Von Koseritz; participou do  CIPEL - Círculo de Pesquisas Literárias; da  ARI - Associação Rio-grandense de Imprensa; da  Estância da Poesia Crioula; foi membro do Conselho Municipal de Cultura de Canoas e representante credenciado da Divisão de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura do Estado, no Município de Canoas. Publicou muitos trabalhos na imprensa de Canoas e da capital. No “Correio do Povo”, deixou dezenas de crônicas e ensaios sobre Canoas e o Rio Grande do Sul.  No jornal “O Momento”, de Canoas, por muito tempo manteve a coluna “Tradição”. É vasta e importante a produção literária do autor, esparsa pela imprensa. Foi, sem dúvida, um dos pilares da cultura em Canoas.  Recebeu vários troféus de destaque por suas atividades em nossa Cidade e Porto Alegre.  Freqüentou muitos cursos e simpósios, acumulando diplomas, certificados, cartões de prata e medalhas. De Portugal e da África Portuguesa, recebeu grandes aplausos por sua poesia “Siá Benedita” e outras poesias suas foram traduzidas para idiomas estrangeiros, aparecendo em bilíngüe nas revistas literárias.  Vargas Neto, poeta clássico do regionalismo gaúcho, classificou-o entre os mais expressivos e brilhantes poetas da época.  No folclore, fez excelentes pesquisas, recolhendo contos, lendas, benzeduras e simpatias, que foram apresentados no IV Congresso Brasileiro de Folclore. Manteve intenso intercâmbio cultural com intelectuais gaúchos, destacando-se Paulo Xavier, Carlos Galvão Krebs e o grande historiador Walter Spalding, incentivador do Movimento Tradicionalista no Rio Grande do Sul. É patrono da Biblioteca Pública Municipal de Canoas e da V Feira do Livro de Canoas, realizada em 1989 (homenagem póstuma); patrono da Escola Municipal de Ensino Fundamental João Palma da Silva, do bairro Mathias Velho, Canoas;  nome de rua no bairro Espírito Santo em Porto Alegre .
1 - Bibliografia de João Palma da Silva:
Crônica de São Leopoldo (1896-1933).  Anais do Congresso de História e Geografia de São Leopoldo, Porto Alegre: Globo, 1947;
 Rancho Crioulo. Poesias regionais. Canoas:  La Salle, 1953. 83p.  Reeditado em 1992 pela Biblioteca Pública Municipal João Palma da Silva;
Roque Callage. Ensaio. Separata da revista “Estudos” nº4, Porto Alegre, 1954;  
As Origens de Canoas.  Monografia histórica.  Porto Alegre:  Globo, 1964. 140p.;  2ª edição, 1966, Canoas:  La Salle;  3ª edição, La Salle, 1966, 241p.; 4ª edição, Canoas:  Pallotti, 1989. 241 p.
 Ensaio sobre a evolução política, social e econômica do Município de Canoas, dividido em aspectos fisiográficos;  cronologia histórica; conquista e povoamento; desenvolvimento; informações diversas e crônicas;
Documentos inéditos da Revolução de 1923. Correio do Povo, “Caderno de Sábado”, Porto Alegre, edições de  29 ago. 1970 e 05 set. 1970.
Pequena história de Canoas. Cronologia.  Canoas:  La Salle.  Editado  pela Secretaria Municipal de Educação e Saúde, 1978. 206p.  Consta  a data de 1978, mas foi publicado somente em 1980;
João Palma da Silva - Tradicionalista. Contos,  crônicas e poesias. Organizado por Dari José Simi. Canoas/SMEC/DC, 1998. 196p.  Coletânea de textos publicados na imprensa local e da capital gaúcha. Contém  dados biográficos de João Palma da Silva.

Grande parte da produção cultural de João Palma da Silva encontra-se esparsa em jornais de Canoas, Santa Maria e Porto alegre.
2 - Bibliografia sobre João Palma da Silva:
João Palma da Silva – Tradicionalista : Org. de Dari José Simi, Canoas:SMEC/Arquivo Histórico e Museu de Canoas, 1998, 196p.
 João Palma da Silva – crônicas e artigos, 1971-72. Org. Antônio Canabarro Tróis Filho.

1957 - Gino Massoti (violão), João Palma da Silva e Possidônio Longoni,
de pé Gaspar Reis.  Foto de Dari J. Simi



Ver neste blog "João Palma da Silva e o Rancho Crioulo"







Nenhum comentário:

Postar um comentário